Entrevista com Jade Baraldo
Entrevistas com bandas Música

Entrevista com a cantora Jade Baraldo

Cada composição é uma revelação artística cada vez maior. Jovem e com talento imensurável, Jade tem tudo para ser a próxima rainha das suas playlists

Aos 19 anos de idade, a cantora catarinense Jade Baraldo começou a sua carreira na música há pouco tempo, mas já abala as estruturas com sua postura forte e independente. Conforme ela mesma diz em entrevista, a maturidade em nada está relacionada à sua idade, mas sim com suas experiências e isso ela tem de sobre.

Depois de lançar seus singles “Brasa” e “Vou passar”, composições fortes e cheias de personalidade, Jade revela que pretende lançar coisas novas em breve. Dona de sua própria vida e carreira, ela decidiu abrir mão de um contrato com uma grande gravadora e lançar suas músicas de forma independente. E está dando certo, ambas as faixas estão sendo muito bem recebidas pela mídia e especialmente pelos fãs devotos que ela está juntando ao longo dos dias e que, segundo ela, já são uma família.

Jade que também esbanja sensualidade e está – muito bem, obrigada – com seu corpo, se apresentou no show da Adore Delano no Rio de Janeiro. A cantora é uma inspiração para ela e as duas se conheceram por conta da repercussão do cover da faixa “I adore U”, disponível no canal da brasileira no YouTube. “além de ser libriana também, é uma pessoa com personalidade muito forte, eu acho ela fantástica, acho o trabalho dela maravilhoso”, conta Jade.

Confira abaixo a nossa entrevista com a cantora:

E.T.C.: Você disse que cria personagens para compor. Como chegou nas personagens de “Brasa” e “Vou Passar”?
Jade Baraldo: Essa personagem faz parte de mim. Na verdade, ela sou eu! Não é 100% cento imaginação. Costumo misturar vivências presentes em minha vida com uma pitada de ilusão e fantasia. Gosto bastante.
“Brasa” fala sobre o relacionamento de paixão louca, em que a pessoa estava naquele leve e traz, sem querer, de fato, assumir o que realmente estava acontecendo. Sem querer admitir que tinha um sentimento e que não era apenas só mais um caso. Já “Vou passar”, fala também sobre um tipo de relacionamento, porém, esse é de trabalho. A inspiração veio de um convívio meu com pessoas que se diziam superiores e que me diminuíam para eu me sentisse dependente deles. E foi a partir dessa experiência que decidi, depois de muita angústia, ser independente e seguir minha carreira sozinha.

E.T.C.: Você é nova mas tem um senso de independência e uma maturidade na fala muito fortes. A que você acha que isso se deve?
Jade Baraldo: Minha mãe disse que desde pequena eu fui assim. Acredito que tenha sido um processo de mutação para me proteger do mundo. E isso se deve também ao fato de que a maturidade não está ligada ao número, a idade, mas sim na vivência e experiência de cada um. O quanto que você vive? Você existe? Ou você vive?

E.T.C.: Por que escolheu a cidade do Rio de Janeiro para estabelecer sua carreira?
Jade Baraldo: Porque eu já conhecia algumas pessoas do Rio. Minha melhor amiga mora aqui e eu morei com os meus pais aqui por sete anos. Vim para o Rio com meses, fiquei até os sete anos e voltei agora. Sem contar que eu amo muito essa cidade! Ela é apaixonante e tem uma energia muito forte.

E.T.C.: Você apareceu pelo Brasil pelo The Voice no ano passado, criou uma base de fãs e vem juntando cada vez mais. O que acha que você mais cresceu e aprendeu de 2016 para cá?
Jade Baraldo: Aprendi que existem muitas pessoas ruins no mundo da música e que, às vezes, aquele ditado “há males que vêm para o bem” é verdadeiro. Isso porque você cria sua casca, você absorve tudo e adquire experiências para crescer. Aprendi também que fãs são família. É muito louco, é inexplicável, na verdade, é um sentimento de família mesmo.

Que um bom relacionamento com quem se trabalha é essencial. Acredito que você tem que gostar da pessoa com quem você trabalha e não adianta nada ficar trabalhando com pessoas que não dão valor para o que você faz.
E outra coisa é que sim, eu posso! Nada é impossível nessa vida, é só focar, lutar e conseguir.

Entrevista com Jade Baraldo

E.T.C.: Você disse em entrevista que não pretende lançar um álbum de imediato, mas sim singles, tanto que lançou há pouco o single “Vou passar”. Quantas mais estão por vir?
Jade Baraldo: Pretendo lançar mais uma e depois o álbum. Particularmente, não gosto de trabalhar com quantidade, gosto de entregar um trabalho com qualidade. Gosto de sentar e trabalhar focada até tirar tudo o que eu tenho, espremer a laranja até o finalzinho.

E.T.C.: Quais momentos foram importantes para você em sua carreira até agora e quais são os próximos sonhos a realizar?
Jade Baraldo: Conhecer melhor os meus fãs. É impressionante o quanto me surpreendo e como eu me identifico tanto com eles. Isso não para de me surpreender. Além disso, conhecer, no meio de tanta gente ruim, pessoas boas no mundo da música, tem muitas.

Não sei sonhos, porque eu tenho muitos, mas de objetivo prático é lançar um álbum e sair em turnê por todo o Brasil. Emocionar as pessoas e me emocionar com elas. Isso é o mais importante para mim: realizar meu sonho de poder cantar, viver daquilo que amo e seguir trabalhando no que eu vim fazer nesse mundo.

E.T.C.: Você idolatra cantoras como Lana Del Rey, Amy Winehouse, Ella Fitzgerald, Lady Gaga, Elis Regina, que são todas artistas com vozes extraordinárias e personalidades incríveis. Seria muita ousadia nossa dizer que você está caminhando para se juntar a elas nesse patamar da música nacional?
Jade Baraldo: Isso foi uma pergunta para mim ou para vocês? (risos) Espero que sim, tomara! Mas tem muito trabalho pela frente ainda, vou ter que ralar muito o joelho. Esperem de colete que o tiro é forte.

E.T.C.: Quais as músicas que você tem mais ouvido atualmente?
Jade Baraldo: É melhor resumir em artistas porque geralmente escuto álbuns específicos, não é só uma música. Ultimamente, estou escutando muito Lianne La Havas – que eu escutei bastante também durante minha participação no The Voice – além de Amy Winehouse.

E.T.C.: E qual música você diria que mais te inspirou a cantar?
Jade Baraldo: Essa pergunta é muito difícil porque tem muitas músicas que me inspiraram a cantar e que até hoje me inspiram. A primeira que me veio à cabeça agora foi “O Caderno”, que minha mãe sempre cantava para mim desde pequena, até mesmo antes de nascer. E tem “The Climb” da Miley Cyrus, que foi primeira música que aprendi a tocar no violão e que, com certeza, me influenciou a cantar.

E.T.C.: Qual é a relação que sente entre você, o ser mulher e a arte?
Jade Baraldo: Acredito que sou a união disso tudo e muito mais. Sou a junção de tudo, uma confusão, mas, ao mesmo tempo, sou um entendimento dentro dessa confusão.

E.T.C.: Dê um recado para as pessoas que sonham em tocar alguém com sua música da forma como você conseguiu com seu primeiro single.
Jade Baraldo: Seja você em primeiro lugar! Faça sua vontade porque nada melhor do que as pessoas sentirem que realmente é você na sua música. Coloque sua energia naquilo, se entregue completamente e não faça a vontade dos outros só…. Por sei lá qual motivo. É a sua cara que está ali, é você, é sua música, sua voz. E acredite em você antes de tudo. Se você não acreditar em você, quem vai?

Essa matéria foi publicada oficialmente na revista E.T.C. Mag de outubro. 

Foto de destaque I Hate Flash

Mais entrevistas aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close