Resenha da comédia “Te Peguei!” – longa estreia hoje nos cinemas

Para quem não sabe do que se trata “Te Peguei!” (TAG no original), já é bom adiantar que isso é ótimo. Entrar na sessão e ser tomado pela curiosidade do desenrolar da história é uma experiência pra lá de divertida, principalmente quando ela supera as expectativas. Além de ser uma surpresa pela ótima execução de uma trama bem desenhada e com aspectos que nos faz refletir sobre a nossa própria jornada como adultos.

Desta vez, sem dar muitos detalhes sobre a história em si (gostaria que sentissem, assim como eu, a sensação de ser surpreendidos pelo filme), vamos analisar alguns pontos do projeto e fazer aquele papel de quem amou, ao indicá-lo para todo mundo.

Quem, acima da idade considerada infantil, brinca de pega-pega? Pois é, a brincadeira agora virou filme. “Te Peguei!” é sobre cinco amigos muito competitivos que todos os anos, desde a primeira série, se envolvem, durante um mês, em um jogo insano de pega-pega em que vale tudo – arriscando suas vidas, empregos e relacionamentos para derrotar uns aos outros com o grito de guerra: “Te peguei!”. Parece meio tosco, mas a execução disso tudo elevou o filme a um patamar diferente do que estamos acostumados nas comédias por aí. E este detalhe pode ser atribuído ao fato de o projeto ser baseado em uma história verídica, o que pode ter interferido no peso ao produzir um trabalho condicente, com um ângulo de contar uma história verdadeira de forma brilhante.

Uma apresentação da New Line Cinema – aquela que ficou conhecida após adaptar para o cinema os livros da trilogia “O senhor dos anéis” – e com produção da Broken Road, de filmes, como “De Repente 30”, “Triplo X” e “Encontro Explosivo”.

Confira o trailer:

Direção e elenco

Te Peguei! é dirigido por Jeff Tomsic (da série do Comedy Central “Broad City”), com um elenco encabeçado por Ed Helms (dos filmes “Se Beber, Não Case!”, “Família do Bagulho”), Jake Johnson (da série de TV “New Girl”), Annabelle Wallis (“A Múmia”), Hannibal Buress (“Vizinhos”), Isla Fisher (“Truque de Mestre”), Rashida Jones (da série de TV “Parks and Recreation”), Leslie Bibb (“Homem de Ferro 2”), com Jon Hamm (“Em Ritmo de Fuga”, da série de TV “Mad Men”) e o indicado ao Oscar Jeremy Renner (“Guerra ao Terror, “Atração Perigosa”, além de seu papel em Vingadores, claro).

O elenco é considerado, por alguns, a parte positiva mais elevada do filme, talvez pelo peso dos atores em outras comédias, como é o caso de Ed Helm. Mas discordo, principalmente, pela forma em que Tomsic consegue dirigir uma ideia que, a princípio tende ao bobo, mas que evolui num contexto humorístico que acaba, em alguns momentos, abraçando o drama – ao retratar a nostalgia de ser criança e as relações em torno da amizade.

Roteiro e produção

O roteiro foi escrito por Rob McKittrick (“A Hora do Rango”) e Mark Steilen (da série de TV “Mozart in the Jungle”), baseado em um artigo publicado no Wall Street Journal intitulado “It Takes Planning, Caution to Avoid Being It”, de Russell Adams. O filme é produzido por Todd Garner e Mark Steilen, com Richard Brener, Walter Hamada , Dave Newstadder e Hans Ritter como produtores executivos.

Para quem curte aquela velha comédia (ao meu ver, sem graça) que gera alguns comentários, como: “nossa, que b**”, o filme não deve agradar tanto, já que o roteiro não insiste em piadas pesadas. Piadas sem nexo? Sim. Piadas sexistas? Sim. Ou seja, existem piadas. Mas principalmente, sem o peso do humor negro que, mesmo assim, faz rir quando bem encaixado. É preciso analisar a proposta do roteiro antes de fazer duras críticas sobre sua redição no contexto.

Execução e trilha

Neste caso, a execução, como dito anteriormente, tem seu lugar ao sol. Por mais que não convence alguns no quesito “humor pesado”, garante muitas risadas e conquista ao tratar da comédia de forma inteligente, um pouco superficial, porém não tão “asneirada”. Precisamos, também, evidenciar o fato do filme não ser cansativo e ter um tempo de duração bom, sendo tudo muito organizado, dando espaço para apresentar a história, a motivação e com um final bem ensaiado, sem purpurinas.

Já a equipe criativa inclui o diretor de fotografia Larry Blanford, o desenhista de produção David Sandefur, o editor Josh Crockett e a figurinista Denise Wingate, com trilha sonora de Germaine Franco. Um outro detalhe importantíssimo e que foi bem encaixado são as músicas no filme. A “Runnin” do grupo de hip hop alternativo de Los Angeles, The Pharcyde, casa perfeitamente com o que está na tela, além de até Ozzy Osbourne ter aparição, com a música Crazy Train.

Curiosidades

Imagem – divulgação

O ator Jeremy Renner estava com os dois braços quebrados quando filmou o longa. Durante as filmagens de outro material como o Gavião Arqueiro do Universo Cinematográfico Marvel, Jeremy fraturou ambos os braços, mas ele não parou por causa das lesões. Usou gessos verdes durante a atuação e que foram substituídos digitalmente (como em Liga da Justiça) na pós-produção.

Ficha Técnica

Título Te Peguei! – Tag (Original)
Ano produção 2018
Dirigido por Jeff Tomsic
Estreia
Hoje: 23 de Agosto de 2018 (Brasil)
Duração 100 minutos
Classificação  14 – Não recomendado para menores de 14 anos
Gênero
Comédia
Países de Origem
Estados Unidos

Para saber mais sobre cinema, acesse aqui.

Post Author: Jaqueline Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *