Por Renata Schmidt

No último dia três, a Project46 comemorou o lançamento de TR3S, seu terceiro álbum (perceberam a escolha cataclísmica? Risos). A ocasião foi celebrada em clima de festival, com direito a apresentações de outras 4 bandas – duas convidadas pela própria Project46 e outras duas escolhidas por fãs através do concurso “Sua Banda no 46FEST III”, que contou com mais de 300 conjuntos inscritos. Acompanhamos de perto o lançamento, prepare-se para ver tudo que rolou!

TONELADA

A abertura ficou por conta da Tonelada, banda mais votada no concurso. Criado em 2013, o grupo tem a autoproclamada missão de “levar um som curto e GROSSO!”, proposta que atendeu com maestria durante o show, marcado pelos timbres sujos e agressivos. Definitivamente, é uma banda para se ficar de olho.

No Trauma

A banda de metalcore carioca foi a segunda a se apresentar, além da segunda mais votada do “Sua Banda no 46FEST III”. Com um som um que mistura guitarras pesadas e percussão frenética a alguns insights melódicos, a banda fez bonito, revelando todo o talento que a levou a seu primeiro tour internacional no início do ano.

Trayce

Considerada um dos “dinossauros do metalcore” no Brasil, a Trayce foi criada em 2007, sob o nome “Ace 4 Trays”, e lançou seu primeiro EP um ano depois. 2 EPS e 3 álbuns depois, a banda traz um som maduro e preciso, pesado na medida certa, além de uma legião de fãs considerável. Foi um show bastante bonito de se ver, já que até os movimentos da banda no palco denotam os anos de estrada (afinal, nada melhor do que admirar quem sabe perfeitamente o que está fazendo)

Ponto Nulo no Céu

A banda catarinense, que passou por uma reformulação quase completa em 2014, trouxe para o festival um som marcado por fortes acordes de baixo, com uma pitada de Hip Hop que a destacou das demais apresentações da noite. Vale ressaltar a potência dos vocais de Dijjy, cuja versatilidade da voz faz com que por vezes fiquemos um pouco confusos procurando um segundo vocal no palco!

Project46

E, finalmente, o headliner da noite, que foi saudado por um coro de “Abre a roda ou sai fora” da plateia, que se preparava para o mosh desde a saída da Ponto Nulo no Céu do Palco, minutos antes. O momento “fofurinha” ficou por conta da abertura, feita por Max Luciefer, filho de 8 anos do baixista Baffo Neto, que agradeceu a presença de todos e puxou o espetáculo mais implacável (e impecável) da noite. Na hora do bis, uma surpresa: todos os fãs com o logo do Project46 tatuado foram convidados a subir ao palco para cantar o single “Foda-se” junto com a banda.

Uma noite para se guardar na memória!

Confira mais resenhas de shows aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *