Exposição Água chega a São Paulo
Exposições

Artistas de diversos países contribuem com exposição Água

Depois de passar por Genebra, onde teve a sua primeira montagem, a exposição Água acaba de chegar à cidade de São Paulo, mais especificamente ao SESC Belenzinho, local escolhido para abrigar a arte de mais de 23 artistas.

No espaço, são encontradas manifestações artísticas de expositores de diversos lugares do mundo, como Síria, Itália, Argentina, Suíça, Japão, Grécia, Índia, Portugal e também do Brasil, representado por Guto Lacaz, Marcelo Moscheta, Jonathas de Andrade, Rosana Palazyan, Eduardo Srur e Laura Vinci.

Todos eles, juntos com os artistas internacionais, abordam em suas obras a crescente preocupação com a água do planeta Terra. Para isso, usam formatos tradicionais, pinturas, desenhos e fotografias, mas também esculturas, instalações interativas e artes mais modernas, como as videoinstalações, que têm aparecido em muitas mostras atuais.

Rio Tietê é um dos destaques da exposição Água

Diante de temas relacionados ao meio ambiente, ecossistemas e mudanças climáticas, a poluição da água não poderia deixar de ser citada, tanto é, que ela é apresentada em obras de grande destaque da exposição Água.

Uma delas é a videoinstalação produzida pelo japonês Noritoshi Hirakawa, que mostra a contaminação radioativa das águas de Fukushima e também explicita as consequências do acidente nuclear ocorrido em 2011, provocado por um terremoto seguido de tsunami.

Essa realidade pode parecer distante. No entanto, a exposição Água também traz outro grande destaque, que certamente é de conhecimento dos brasileiros e faz parte do trajeto diário de muitos paulistanos: o Rio Tietê.

Arrasto

Esse é o nome dado à obra de Marcelo Moscheta, que nasceu em São José do Rio Preto. Para criar Arrasto, o paulista fez uma expedição muito interessante pelo Rio Tietê, coletando diversos tipos de materiais do local, como pedras, areia e argila.

Depois disso, o artista documentou cada item encontrado e fez com que eles formassem praticamente um museu de lembranças do rio que há muito tenta sobreviver à poluição da cidade grande, aos descuidos da população e à falta de respeito com os recursos naturais.

A mostra também tem produções inéditas, criadas exclusivamente para a sua exibição em São Paulo, além da obra “Ondas d´Água”, que foi feita especialmente para a inauguração do SESC Belenzinho, mas que também passou a integrar a mostra.

Serviços

Duração da exposição: de 22 de novembro de 2017 até 18 de fevereiro de 2018
Local: SESC Belenzinho – Rua Padre Adelino, 1.000 – Belenzinho, São Paulo/SP
Horário: terça a sábado, das 10h às 21h, e domingos e feriados, das 10h às 19h30
Valor: entrada gratuita

Visitar a mostra é uma ótima oportunidade para repensar o modo como a água é utilizada e para começar a valorizá-la. Reflita sobre isso e continue navegando pela nossa seção de exposições para encontrar outras atrações em São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close